A resposta do setor da saúde à pandemia da gripe A de 2009 na Nova Zelândia

Citation: Wilson N, Summers J, Baker M. The 2009 influenza pandemic: a review of the strengths and weaknesses of the health sector response in New Zealand. New Zealand Medical Journal 2012; 125: 54-6

O que é isto? Compreender as lições retiradas das pandemias anteriores (como a pandemia da gripe A [H1N1] de 2009) pode ajudar na resposta à pandemia da COVID-19.

Nesta revisão sistemática, os autores pesquisaram artigos de investigação e informação publicada em ‘sites’ de agências governamentais entre 1 de abril de 2009 e 20 de maio de 2012 sobre a resposta do setor de saúde da Nova Zelândia à pandemia da gripe A (H1N1) de 2009. Incluíram 38 documentos sobre o impacto na Nova Zelândia onde 1122 pessoas foram hospitalizadas com gripe pandémica no diagnóstico primário, 102 receberam tratamento numa unidade de cuidados intensivos, com 49 mortes atribuídas à pandemia.

O que foi descoberto: Os pontos fortes identificados foram que o setor da saúde na Nova Zelândia tinha investido inicialmente um esforço considerável em medidas de contenção com identificação de casos, isolamento, rastreio de contactos e disponibilização de antivíricos.

Apesar de o impacto das mensagens de saúde pública e informação não serem claros, houve uma redução de consultas de cuidados primários para outras doenças durante a pandemia.

As práticas de lavar as mãos melhoraram, apesar de a higiene respiratória observada ter sido relativamente precária durante a pandemia.

Foram identificados alguns pontos fracos possíveis, incluindo uma relativa ausência de uma análise detalhada da epidemiologia e da resposta do setor da saúde, estudos analíticos sofisticados para identificar fatores de risco, e avaliação das mensagens de proteção de saúde pública usadas em campanhas e em notas de imprensa das autoridades de saúde.

 

Aviso Legal: Este resumo foi escrito por funcionários e voluntários da Evidence Aid. O objetivo é tornar o conteúdo do documento original acessível aos responsáveis pela tomada de decisões envolvidos na pesquisa de evidências disponíveis sobre o coronavírus (COVID-19) que, inicialmente, podem não ter tempo para ler o relatório original na íntegra. Este resumo não pretende substituir o aconselhamento médico e de outros profissionais de saúde, associações profissionais, desenvolvedores de diretrizes ou governos nacionais e agências internacionais. Se os leitores deste resumo acharem que as evidências apresentadas são relevantes para a tomada de decisões, devem consultar o conteúdo e os detalhes do artigo original, bem como os conselhos e diretrizes oferecidos por outras fontes de informação, antes de tomar decisões. A Evidence Aid não pode ser responsabilizada por quaisquer decisões relativas ao coronavírus (COVID-19) tomadas com base apenas neste resumo.

Add yours ↓

Comments are closed.