Ervas chinesas combinadas com medicina ocidental no tratamento de Síndrome respiratória aguda grave (SARS)

Citation: Liu X, Zhang M, He L, et al. Chinese herbs combined with Western medicine for severe acute respiratory syndrome (SARS). Cochrane Database of Systematic Reviews 2012; (10): CD004882

Que é isto? Os primeiros casos de Síndrome respiratória aguda grave (SARS) foram relatados em Dezembro de 2002. Trata-se de uma doença respiratória aguda, causada por um coronavírus, e o uso integrado de medicamentos chineses e ocidentais pode ter desempenhado um papel importante no seu tratamento bem-sucedido. Portanto, evidências de estudos desses tratamentos para SARS podem ajudar a identificar tratamentos para o COVID-19.

Nessa revisão sistemática da Cochrane, os autores pesquisaram ensaios randomizados e semi-randomizados de ervas chinesas combinados com medicamentos ocidentais, versus medicamentos ocidentais isolados para pacientes com SARS. Eles não fizeram restrições quanto ao idioma de publicação, e realizaram as suas buscas em Março de 2012. Eles identificaram 12 ensaios randomizados e um semi-randomizado (total: 640 pacientes), avaliando 12 ervas chinesas diferentes.

O que funciona: Nada anotado.

O que não funciona: Ervas chinesas combinadas com medicamentos ocidentais não diminuíram a mortalidade do SARS quando comparadas aos medicamentos ocidentais isoladamente.

O que é incerto:  Algumas evidências fracas sugerem que  a adição de algumas ervas chinesas aos medicamentos ocidentais  pode melhorar os sintomas, a absorção da infiltração pulmonar e a qualidade de vida, além de diminuir a dosagem de corticosteróide e tempo no hospital para pacientes com SARS, mas isso é incerto.

Add Comment Add yours ↓

Submit a comment